Nos trilhos do rock guairense, um bar virou a estação central

14ago2020

“O Expresso do Oriente, rasga noite, passa rente. E leva tanta gente/ que eu até perdi a conta”.

Guiado por uma canção, uma postagem no Facebook e uma dose de coragem em plena pandemia, embarco numa terça-feira me propondo a conhecer um novo espaço na cidade.

É dia de rock, bebê. Dia de conhecer o empreendimento do casal Paulo Cesar Ferreira e Carolina Poliane Schirmer. Paulo é figurinha “das antigas”, como dizem, e Carolina veio de Itaipulândia para montar o Trilho do Rock, o bar mais rock and roll da cidade (e da região).

O espaço, agora com 1 mês e pouco de abertura, já conquistou uma galera. E já até saiu no UOL, que fez uma matéria sobre empreendimentos que estão abrindo, quando as principais pautas estão focadas nas tristes realidades dos que estão fechando neste difícil ano de 2020.

Paulo é músico, já tocou em várias bandas da cidade, e Carolina é psicóloga. Ambos nunca pensaram em ter um bar, mas a oportunidade apareceu, e por que não? E por que não?!

“Eu nem te contei uma novidade quente, eu nem te falei”…

O som rasga a noite no espaço bem iluminado que nos remete em sua decoração a tantas boas companhias: Freddie Mercury, The Rolling Stones, Creedence.

O chopp, artesanal ou pilsen, é de qualidade e vendido com preço justo. “A gente se preocupou em montar um lugar que a gente gostaria de frequentar. Com preço justo, sabe? Nossa intenção não é enriquecer em cima das pessoas”, explica Paulo.

Os lanches, todos com nomes de bandas (Beatles, Iron Maiden, Nirvana e o indefectível Baby Dylan) são suculentos, com 200g de hambúrguer, e vendidos em média por 20 reais. E vão pintar novidades, como o Black Sabbath (com pão preto) e o Red Hot Chili Peppers (com pão vermelho).

Carolina está contente com a recepção guairense. “É uma cidade que tem muito a oferecer em todos os aspectos. Fui muito bem recebida e nosso bar está sendo muito bem recebido também”.

Positivamente surpresos também ficam os clientes. “Recebemos um cara de São Paulo que elogiou muito a cidade e o nosso espaço. Falou que pelo tamanho da cidade, temos tudo”, explica Carolina.

Paulo arremata: “O nosso objetivo é fazer com que a pessoa chegue aqui e se sinta em casa. Esse é o foco. Pode vir de salto alto ou de chinelo”.

Nos trilhos do rock, a noite avança. O bar tem espaço reservado para apresentações musicais, o que vai dar muito mais bagagem e viagens para os artistas de Guaíra e região, e vai ter até karaokê. “O palco vai ser aberto para músicos e artistas em geral. Pode subir lá e ler um poema, se quiser. A ideia é ter um espaço artístico livre”, revela o casal.

Não precisa mais nada. O bar que faltava chegou. E quem quiser pode embarcar nesta estação roqueira, mas que toca reggae, e até uma boa MPB, de vez em quando.

Ói, ói o trem, vem surgindo de trás das montanhas azuis, olha o trem

Ói, ói o trem, vem trazendo de longe as cinzas do velho éon

Ói, já é vem, fumegando, apitando

Chamando os que sabem do trem

Ói, é o trem, não precisa passagem

Nem mesmo bagagem no trem

Pois é assim, gente. Nessa trilha sonora, nesse Trilho do Rock, vale aquela velha máxima do Raulzito: Não diga que a canção está perdida.

Por Cristian E. Aguazo

Serviço:

Trilho do Rock

Rua Balduíno Pott, 160, Vila Malvina (proximidades da Praça São Francisco)

Aberto das 18 às 01h